Carta aos Xaverianos: Pessoa Conectada

Carta aos Xaverianos
Ipiranga, SP, 03 de abril de 2017.
‘O movimento interno mais oportuno? Aquele que conecta corpo, mente e espírito’.

Caros Xaverianos, Paz.

Na intenção de continuar traçando, a partir das últimas cartas enviadas, uma sequência de nossa trajetória através da formação humana enraizada na Educação Jesuítica e na Pedagogia Inaciana, quero nessa oportunidade tratar sobre mais um dos “C” que performam as características do Projeto Educativo Comum (PEC) da Rede Jesuíta de Educação – RJE – no Brasil. Tratamos, anteriormente, da pessoa como ser Consciente, Competente, Compassivo, Comprometido e Curioso. Esse é, portanto, já o nosso sexto aspecto tratado: a Pessoa Conectada.

Os primeiros meses do ano letivo de 2017 no SANFRA oportunizaram a inauguração de nossa sala conceito e de um novo componente curricular (Inovação Educacional), eles são um ‘showroom’ do que o SANFRA pretende ser, estrutural e curricularmente, nos próximos anos. Trata-se de um ambiente e matéria que têm como foco a aprendizagem (e não meramente o ensino).

Estruturalmente, os avanços tecnológicos implantados no Colégio nos últimos meses não foram poucos. Por exemplo, para além da sala conceito acima mencionada, reconfiguramos também a sala de informática da educação Infantil que foi substituída pela criação de um Lab Kids em que os antigos monitores com tubo de imagem (em tudo obsoletos) existentes naquele espaço foram substituídos por IPad’s de última geração com todos os aplicativos educacionais possíveis para uma oportuna interação dos Xaverianinhos com as novas ferramentas e métodos de aprendizado.

Contudo, ao falar de pessoas conectadas, quero aqui perfazer outro percurso que não, necessariamente, o tecnológico e, portanto, não falaremos tanto de nosso novo parque tecnológico ou da intencionalidade pedagógica deste, mas sim gostaria de tratar sobre outras conexões nas quais fios, redes e aparelhos eletrônicos compartilham seus lugares com diálogos, sinergias e sentimentos para uma oferta de educação integral conforme nosso modo educacional de proceder.

Sim que, cada vez mais, a velocidade dos sistemas operacionais e em rede aumentam vertiginosamente, haja vista que, ao pesquisar no Google o termo ‘escola’, obtemos aproximadamente vertiginosos 301.000.000 de resultados em incríveis 0,69 segundos! Nós acompanhamos com atenção e interesse esse sinal dos tempos virtuais. Entretanto, acreditamos também que a melhor conexão possível ainda é a que se faz olhos nos olhos ou através de um caloroso abraço ou aperto de mãos que selam amizades e só podem ocorrer quando da proximidade física entre as partes envolvidas. Conectar-se, para os Xaverianos, deve, antes de tudo, ultrapassar o uso dos aparatos eletrônicos (que muitas das vezes mais isolam que conectam) como meio válido, mas não único, para aproximar quem se gosta.

Há três sentidos do corpo que, infelizmente, ainda não são priorizados quando falamos de tecnologia computacional e educação, quais sejam: o olfato, o tato e o paladar. Creio que essa constatação pode dizer muito do que entendemos como educação escolar tradicional: a recepção das novas tecnologias ocorre, quase que exclusivamente, através da visão e da audição, sentidos que são também os aspectos mais privilegiados na educação bancária e conteudista. Um meio de superá-la, enriquecendo-a, é tirar proveito da pedagogia que Santo Inácio coloca nos seus Exercícios Espirituais quanto a “aplicação de sentidos” [vide Exercícios Espirituais 18; 238; 247; 248] sobre a qual Inácio diz que devemos “ver, com a vista; ouvir com os ouvidos; cheirar com o olfato; gostar com o gosto; tocar com o tato” [EE 66-70].

Mesmo incorrendo em pleonasmos, o reforço intencionado nesse grupo de exercícios é que devemos ser completos, integrais, em suma, conectados. Tal exercício inaciano está interligado intimamente ao pedido do próprio Mestre de Nazaré: “Quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça” (Mt 13,9); e nisso se completa o seu sentido, pois ter ouvidos para ouvir implica também em ter boca para falar, coração para sentir, mente para refletir, vida para viver… Assim conectaremos mais facilmente corpo, mente, espírito.

Por fim, parece oportuna uma palavra sobre a intenção de entregarmos ao nosso querido SANFRA um espaço de conexão renovado, no qual pretendemos melhor acolher os responsáveis por nossos Xaverianos. Trata-se do nosso novo Hall na área da portaria, revitalizado em homenagem aos 89 anos do Colégio em 12 de março de 2017. Nele temos a oferta de um ambiente aconchegante com futons ao estilo japonês (para não esquecermos nossas raízes), bem como painéis ilustrados, elucidativos da história da educação da atual Companhia de Jesus no Ipiranga, na Plataforma Apostólica Sul 1, no Brasil, na América Latina e no Mundo. Nesse ambiente de encontro, a um tempo pedagógico, institucional e familiar, agregamos ainda a possibilidade de utilização da internet via wi-fi (para não esquecermos nossos futuro e destino), conectando integralmente, entre todos, esse novo espaço do novo SANFRA seja presencial seja virtualmente.

Com orações, estima e o desejo que nossa conexão vá se reestabelecendo sempre e cada vez mais.

Cordialmente,

Ir.-Epifanio

Diretor Geral

________________________________________________
¹As ‘Cartas aos Xaverianos’ são produções textuais mensais que abordam, por parte da Direção Geral do Colégio São Francisco Xavier – Ipiranga, SP –, temas candentes aos Xaverianos. Chamo Xaverianos todos os que fazem parte da Família “SANFRA”: estudantes, pais, mestres, ex-alunos, educadores, assessores, coordenadores, corpo diretivo, jesuítas, inacianos a quem tais cartas se destinam.



Newsletter

Como Chegar

Colégio São Francisco Xavier

Rede Jesuíta de Educação
Rua Vicente da Costa, 39
Ipiranga – São Paulo, SP

+55 (11) 3013-0320
Ver mapa Agende uma visita